SURF JUNKIE CLUB – Comunidade para viciados no Surf

179

COLEÇÃO DE NFT É CRIADA PARA CONECTAR A COMUNIDADE DO SURF

A missão do projeto é formar uma comunidade internacional de surfistas, capaz de gerar acesso, utilidades, experiências e influenciar positivamente a cultura surfe e sua economia circular

Uma das NFTs do SURF JUNKIE CLUB (SJC), com criação de Marcello Serpa

Nos últimos anos, o surfe ganhou destaque na mídia brasileira, com uma nova geração de atletas conquistando títulos mundiais e status de celebridades. Mas mais do que apenas um esporte, o surfe é uma comunidade constituída em pilares como espiritualidade, estilo de vida e inovação. É sobre este alicerce comunal que chega ao mercado o SURF JUNKIE CLUB (SJC), projeto que utiliza a ascensão da web 3.0 para conectar surfistas no mundo todo.

Entre as propostas desenvolvidas pelo SURF JUNKIE CLUB (SJC) que serão apre- sentadas em breve à comunidade, está uma oferta de experiências exclusivas como acesso a piscinas de ondas, resorts e barcos em locais internacionais de surfe, inte- ração com lendas do esporte, criação especializada de conteúdos e um marketplace de produtos oficiais da marca SURF JUNKIE CLUB. Além disso, os fundadores desta- cam a oportunidade de participação e colaboração dos membros no board do SJC, um canal na rede Discord para propostas e deliberação descentralizada de ideias para o clube e também para questões sociais e ambientais. Acessível apenas para as carteiras com pelo menos uma “Surf Junkie NFT”, o board estará ativo após o dia da venda aberta das NFTs ao público, mais conhecido como “dia do MINT”.

Idealizada a partir do surgimento do blockchain, em 2008, e a consequente emergên- cia de soluções de finanças descentralizadas (DeFi), a web 3.0 aponta uma nova era na internet, onde o fluxo de dados, capital e influência não estarão concentrados em servidores de grandes plataformas, mas serão geridos por aplicações descentraliza- das (dapps), desenvolvidas em código aberto e disponíveis a todos os usuários.

Dentre as ferramentas com maior capilaridade neste novo ambiente estão as NFTs (non-fungible token), um registro na blockchain que verifica a posse de um ativo digital. Apesar de cópias de ativos digitais continuarem a existir e permitir que informações, imagens, vídeos e músicas digitais continuem a atingir pessoas do mundo todo a custo quase nulo, agora é possível assegurar a propriedade daquele ativo digital. A tecnolo- gia é nova e tem ganhado repercussão na mídia, com vendas milionárias de obras de arte e outras propriedades raras. Mas o seu potencial extrapola a monetização de ati- vos digitais e pode revolucionar a forma como entidades, empresas e o público orga- nizam seus territórios de interesse, fomentando a criação de comunidades mais coe- sas, democráticas e com grande impulso à economia circular.

É exatamente este potencial da NFT que o SURF JUNKIE CLUB pretende explorar. Formado por um time multidisciplinar de profissionais consagrados em suas áreas e que compartilham a paixão pelo surfe, o projeto trará uma coleção criada por Marcello Serpa, um dos designers mais premiados do Brasil. Gerados de modo programático e hospedados na blockchain Ethereum, as NFTs do SJC terão suas emissões de car- bono compensadas e funcionarão – para além de seu valor intrínseco como proprie- dades rentabilizáveis – como credenciais de acesso ao CLUBE e ao mundo do surf, através de utilidades exclusivas aos membros criadas a partir do relacionamento e experiências pessoais dos fundadores do projeto com grandes nomes como Kelly Slater, Gabriel Medina e Donavon Frankenreiter, entre outros.

Uma das NFTs do SURF JUNKIE CLUB (SJC), com criação de Marcello Serpa

Com isso, mais do que a comercialização de ativos, o SURF JUNKIE CLUB (SJC) propõe a construção de uma comunidade internacional de surfistas para viver e influenciar positivamente a cultura surfe e sua economia circular.

Gerados a partir de centenas de atributos desenvolvidos por Serpa – como expres- sões, cabelos, roupas, pranchas, acessórios, paisagens, entre outros – cada “Surf Jun- kie NFT” poderá ser comercializado apóso MINT no Open Sea, principal marketplace de NFTs do mundo, onde estão hospedados algumas das maiores coleções de su- cesso, como o “Crypto Punks” e o “Bored Ape Yatch Club” (BAYC).